Como funciona o freio dos carros?

Teste do especialista: qual dessas lixeiras para carro é a mais prática?
13 de fevereiro de 2019
Correio Técnico: dá para instalar airbags e ABS em carro antigo?
15 de fevereiro de 2019

Como funciona o freio dos carros?

O freio de carro é uma das partes mais importantes para dirigir e é essencial entender como ele funciona e mantê-lo em boas qualidades para não ficar em apuros quando precisar utilizá-lo em momentos de necessidade no trânsito.

Como funciona o freio?
Embora pareça bem simples – só pisar no pedal ou puxar a alavanca e pronto – o sistema é bem complexo e cheio de componentes que fazem exercer sua função corretamente.

Ele funciona, basicamente, por meio da conversão de pressão mecânica em hidráulica. Isso ocorre por meio de um circuito fechado de fluido de freio que vai desde o cilindro mestre, ligado ao servo freio e pedal de frenagem, até os cilindros ou pinças hidráulicas ligadas às rodas.

Principais componentes do freio
A maioria dos automóveis brasileiros possuem o mesmo padrão de frenagem: freio a disco nas rodas dianteiras e tambores nas traseiras. Alguns modelos possuem ainda o sistema de freios ABS, um complemento do sistema de frenagem que evita o travamento das rodas ao pisar no pedal.

Por conter uma série de peças, o funcionamento do freio do carro só é 100% eficiente quando todo o conjunto está em boas condições. É importante estar atento aos sinais de problemas e o tempo de duração de cada uma delas.

Pedal: é a forma de acionamento do freio do carro, independente do seu sistema, e precisa funcionar com um toque sutil. É um dos componentes mais resistentes e normalmente não necessita ser trocado, exceto em caso de acidentes que o entortam.

Discos: eles ficam nas rodas e param o carro quando entram em contato com as pastilhas. Quando o veículo trepida muito no momento da frenagem, é sinal de alerta: os discos podem estar gastos ou tortos. Como não há prazo de troca, é preciso estar atento aos desgastes.

Tambor: é o que aciona o freio nas rodas traseiras. Assim como os discos, não há um prazo de troca – é preciso estar atento à trepidação durante a frenagem e sua espessura.

Pastilhas: entram em contato com o disco de freio para parar o veículo, e geralmente ficam apenas nas rodas dianteiras. Com o desgaste, o poder de frenagem vai diminuindo – o que pede sua troca. O prazo depende muito do uso do motorista, mas geralmente as pastilhas são trocadas a cada 20 mil quilômetros.

Servo freio: ele funciona como o transmissor da força de acionamento do pedal para todo o sistema de frenagem, com o vácuo gerado pelo funcionamento do motor. Por isso, o pedal é duro quando acionado com carro desligado. No entanto, se tiver essa sensação ao dirigir vale checar se o servo freio está com problemas. O tempo de vida desse componente é entre 120 mil e 200 mil quilômetros.

Cilindro mestre: ele abastece o sistema de freios com o fluido do reservatório, transformando a pressão mecânica em hidráulica. Se o pedal de freio ficar baixo, é sinal de problema: pode haver corrosão interna, por conta de fluido contaminado ou vencido. Com a manutenção correta, o cilindro mestre dura até 100 mil quilômetros.

Na Prime Reparadora seu carro fica novo, de novo. Funilaria, pintura e martelinho de ouro. Atendemos toda a Baixada Santista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *